Arquivo da tag: vida

4 anos e…

9 meses!!

Hoje completamos 4 anos e 9 meses de namoro. É um post inesperado pra muitos, mas que eu já planejava fazê-lo a pelo menos dois meses.. Mas por vários motivos que não vem ao caso no momento, eis que hoje ele toma forma.

No último final de semana o tema “blog” voltou a nossa conversa, fazendo com que a saudade tomasse conta de mim, sendo assim, eu percorri página por página para relembrar o que já foi dito sobre a gente, sobre a nossa história aqui.

Mas com certeza, não preciso do blog pra dizer o quanto as coisas foram mudando durante esses quase 5 anos.

Muitas idas, muitas vindas. Muitos planos, alguns concretizados, outros mais ou menos e alguns frustrados. Algumas brigas sem motivo, algumas com razão, outras sem. Alguns quase términos, um deles até, vocês presenciaram o momento bem de pertinho. Algumas coisas em comum, várias diferenças. O Direito e a Moda. Foram muitas conquistas individuais e em conjunto. Um pouco de frustração, mas muita alegria e felicidade. Tantas coisas que vieram e se foram. Todos os rituais que foram se perdendo com o tempo, e tantas outras coisas que foram se ganhando também. As responsabilidades que foram aumentando e o tempo que foi diminuindo. Muitas vitórias, comemoradas juntos.. São tantas as coisas que c, que nem caberia tudo aqui e que também não existem palavras que consigam expressar tudo que sinto por ele! Por isso, que montei esse vídeo com fotos contando de maneira simples, um pouquinho de cada coisa que já vivemos e sentimos..

Não sou habilidosa com o Vegas, por isso usei o movie maker mesmo hehehe. Acho que p que vale é a intenção né?!

Bom..

Matheus..

Eu não sei quanto tempo tu vai demorar pra ver esse post aqui (espero que não muito) hahaha. Mas o que eu quero, é dizer que eu te amo demais, isso não é nenhuma novidade, mas todo mundo que ama, sabe que não importa quantas vezes essas palavras mágicas são direcionadas a ti. Quero poder viver muitos anos ao teu lado, até ficarmos velhinhos e contarmos a nossa história para os nossos netos e bisnetos do jeito que a gente deseja.

A gente achou que com o tempo as coisas só iam melhorar pro nosso lado, mas com todas responsabilidades a distância que continua sendo a mesma só parece aumentar, porém sempre estivemos cientes de que as coisas não iriam ser fáceis, e realmente elas não são.

Estamos batalhando para que no futuro possamos dividir finalmente o mesmo teto.. hahaha.. É difícil isso tudo, mas te digo que todo esforço vale a pena, nem que sejam por algumas horas. Estar contigo me faz ser outra pessoa e ver as coisas de uma forma diferente, me faz acreditar de que as coisas vão ser diferentes!! E isso tudo me motiva a cada vez mais te amar, pela pessoa que tu és e pelas coisas que tu faz!

A saudade está me matando mais uma vez, mas eu sei e tenho certeza de que quando a gente se reencontrar vai ser tudo intenso como sempre acontece!!

Obrigada por esses 4 anos e 9 meses. Aprendi milhares de coisas contigo e continuo aprendendo diariamente, tenho muito orgulho em ser tua namorada!!! Tu é foda guri ;D

Te amoo demais!!!

Grande beijo da Bru!!!

Créditos das fotos no vídeo: arquivo pessoal, Fernanda Henz Fotografias, Tri Produções e Studio Sandra Wagner.

10 Comentários

Arquivado em Dela

Bodas..

Hoje quando falamos de casamento várias pessoas abominam a idéia de construir sua vida ao lado de outra e preferem viver independentes.Eu já quero me casar, ter filhos e aquela coisa toda.

Mas alguém de vocês já imaginou viver durante 50 anos ao lado de outra pessoa? Compartilhando TUDO, as conquistas, derrotas, os filhos, dificuldades em um tempo em que as coisas não eram nada fáceis, enfrentar o que fosse mas não abrir mão de estar ao lado daquela pessoa perante tudo e todos?

Falo disso, pois neste final de semana aconteceu a cerimônia de Bodas de Ouro dos meus avós paternos. Eles casaram-se no dia 11 de abril de 1959 e construiram uma família com 5 filhos que tem em média 3 a 4 anos de diferença. Educaram eles, ensinando o que era certo e errado e os valores que deveriam seguir na vida. Mas acredito que o principal ensinamento que eles tiveram, foi sobre o amor, de como o amor pode superar as coisas diante qualquer dificuldade.

Meu pai sempre conta que quando eram crianças e adolescentes, eles nunca “apanharam” dos meus avós, aprontavam umas que outras, mas as coisas se resolviam na base da conversa. E que como meu avó trabalhava fora de casa, numa fábrica pelo menos uma vez por semana ele trazia alguma coisa diferente da rua pra eles jantarem. Mesmo em tempos difíceis ele não abriu mão de alegrar os filhos com esse tipo de mimo.

Hoje cada um dos filhos tem sua família e esplana essas idéias de criação partindo do principio do qual foram criados. Ao todo somos 6 netos! E quando a família se reune é uma algazarra só. Ontem até brincamos que somos a Grande Família e a Família Buscapé, pois como acontece em todas as relações nem tudo são rosas e há grandes controversias dentro da família. Mas…

Antigamente as coisas eram completamente diferentes e os casamentos muito mais duradouros, tanto que temos o exemplo dos meus avós. Hoje em qualquer tropeço as pessoas acham ruim e acabam abrindo mão de pessoas que poderiam fazer a diferença em suas vidas. As coisas são muito práticas e muito rápidas, no mesmo instante em que estão juntos no outro já não estão mais e daqui a pouco já estão com outra pessoa e vão pulando de galho em galho e quando vê acabam sozinhos, é foda e complicado, mas é a realidade de muitos.

Deixo uma mensagem que achei linda falada ontem na Cerimônia Religiosa dos meus avós e que veio no “certificado” das Bodas de Ouro deles e eu copiei

“Nenhuma quantidade de água pode apagar o amor, e nenhum rio pode afogá-lo”. Ct. 8.7a

0071

E deixo pra vocês também uma foto da Família reunida. Só faltou o Matheus e a minha bisavó.

Boa semana a todos!

Amor, te amoo! 😉

Beijão, Bruna!

Obs: será que me sai bem sob a pressão do meu excelentíssimo? haha.. Espero que sim. Beijos

10 Comentários

Arquivado em Dela

Maldita TPM..

Tá pra nascer coisa mais chata que esse relóginho que funciona frequentemente todos os meses com nós mulheres. Eu abômino toda vez que sei que vou ficar nos malditos “dias”, talvez por tudo que eu já passei um tempo atrás com as tais cólicas que até hoje vem me amendrontar e me mostrarem o quão insignicante eu fico perto delas, elas simplismente conseguem me derrubar.

Chega até a ser engraçado quando estou na tpm, pois não posso ver o meu pai na minha frente que brigo com ele, olha por qualquer coisa meeesmo. E depois eu paro pra pensar e me sinto tão culpada, mas é involuntariamente que brigo com ele.

Quando tô assim tudo me irrita, TUDO. Tento evitar de reclamar sobre mínimas coisas pro Matheus, mas é quase inevitável daí junta o fato de não ver ele a tempos e pronto, tá feito o rolo.

O pior de tudo é sentir dor de cabeça, dor nas costas, dor nas pernas e sentir tudo sendo apertado por dentro do teu corpo. Tomar as abençoadas pílulas que já fazem essa dor toda diminuir, mas ver que ao passar dos meses o corpo já se adaptou a ela e que a dosagem terá de ser aumentada é fodz. Pior ainda é ter de tomar remédio pra dor de cabeça, pra cólica (esse que deveria ter efeito imediato por ser sub-lingual).

Na verdade eu acho que eu e a maioria das mulheres tem TPM, TDM (durante) e TFM (fim).. hahaha mas lógico que só durante uma semana, pois caso contrário certamente o Matheus não estaria comigo.

É foda, mas creio que tudo isso compense em poder gerar uma vida dentro de ti, é algo que deve ser completamente fantástico. Ah aproveitando que to falando de filhos.. Era só brincadeira do Matheus dos 12 filhos, a não ser que eu não serei a mãe deles né?! hahaha se depender de mim, terei 2 filhos, ele quer ter 3, veremos o que acontecerá no futuro, mas 12 filhos com certeza não é pra mim.

Bom meus queridos.. Por hoje é isso. Desejo uma boa sexta pra todos e um ótimo final de semana!

Amoooor, to quaaaase chegando aí ;P TE AMOO!

Beijão, Bruna

21 Comentários

Arquivado em Dela

Viagens.. Próximo destino:

Cuba!

Nossa, tem coisa melhor que viajar? Talvez fazer o planejamento de uma viagem seja tão bom quanto, aquela expectativa toda de como vai ser e tudo mais. Melhor ainda viajar acompanhado e planejar essa viagem com essa pessoa.

Eu e o Matheus vivemos “viajando” nas viagens que a gente quer fazer… E de uns tempos pra cá fixamos a idéia de ir pra CUBA, ele que anda fissurado por charutos (¬¬) e eu por adorar praias, então porque não unir o útil ao agradável não é mesmo?!

Eia que voltamos das férias e fomos procurar mais a fundo, agências de turismo, hotéis, em que localidade ficar, atrativos e aquela coisa toda. Gente aquilo lá é o paraíso. Procuramos de cabo a rabo (desculpem o termo) no orkut, depoimentos de várias pessoas que já foram pra lá e eu fiquei completamente apaixonada e louca de vontade de embarcar num avião pra lá no outro dia mesmo.

Mas, tudo envolve tempo ($$) e pelas fontes que tivemos dependendo a quantidade de dias que você for ficar sai mais barato do que ir pra Fernando de Noronha por exemplo, sendo que lá (em Cuba) os hotéis são com tudo incluso, TUDO mesmo!

O Matheus que fica rindo de mim por eu nunca ter viajado de avião, dizendo que vou morrer de medo.. Será? hahaha.. Tudo bem, provavelmente terei “medinho”, mas com certeza no final será muito válido, ainda mais indo pra um lugar onde a cultura é diferente, além das lindas paisagens tu vai vir com muita coisa agregada na tua bagagem e com certeza isso é o que importa, as experiências.

Bom, eu tô aqui na faculdade indo pra minha segunda aula do dia (Modelagem de bolsas e acessórios), então vou ficando por aqui, mas deixo pra vocês algumas imagens desse lugar paradisíaco e digo mesmo sem ter ido pra lá alguma vez que quem tiver a oportunidade deve ir!

Edit..

havana

Havana

catedral-de-havana

Catedral em Havana

forte-em-havana

Forte em Havana

orla-de-havana

Orla de Havana

varadero

Varadero

varadero1

Varadero

varadero2

Varadero

Amor, Te amoooo!

Beijãoooo, Bruna

PS: Putz gente, vou ficar devendo as fotos, pois tá demorando demais pra upar aqui, mas assim que eu chegar em casa eu edito e coloco as fotos aqui pra vocês. Desculpa MESMO!

Ps¹: Imagens retiradas do site da CVC.

5 Comentários

Arquivado em Dela

Riscos. Valem a pena?

Então. Tenho pensado muito nessa coisa de medir riscos. Do risco que corremos pra viajar, do risco que corremos pra ir pra um lugar diferente, do risco que corremos pra sair na rua, do risco que corremos pra respirar. Enfim.

Eu e a Bruna gostamos de literalmente ficar viajando sobre nossos rumos turísticos. A nova modinha, por minha influência é CUBA, tendo em vista ser a terra de um dos maiores fenômenos sociais do mundo, a Revolução Cubana, com todos seus personagens míticos e afins, mas também pela minha nova mania, que são os charutos. E todo mundo sabe que os cubanos são os melhores.

varadero-beach

Ps. Ir pra Cuba pela CVC, ficando hospedados em um paraíso tropical e alguns dias em Havana, com hotel no sistema all inclusive (beba e coma o que quiser e quanto quiser), tá mais barato do que ir pro Nordeste Brasileiro.

Mas bah. Viajei de avião esse ano. Foi legal e tal. Mas é uma experiência encagaçante. Não consegui de parar de pensar putz. O avião da TAM que caiu em SP era exatamente desse modelo. E blah blah. Aquele tipo de coisa que tu não consegue parar de pensar por estar nervoso.

Ae chegamos em Cuba e como será que as coisas são por lá. Podem esquecer o que nós, brasileiros, pensamos da realidade cubana. Da forma como é mitificada eu tenho certeza que não é. Mas é uma viagem ao desconhecido. Desconhecido mesmo. Dá medo. Tu pode ser assaltado na rua, tu pode ser assassinado, tu pode te perder, tu pode te afogar nas águas transparentes de Varadero.

Enfim. Pra tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO nessa vida, existe uma possibilidade de dar errado. Qualquer coisa, por mais simplória que possa parecer, tem uma chance de se tornar em uma tragédia.

Mas. Porém. Contudo. Todavia. Entretanto. Isso só prova uma coisa. Que nessa vida, pra morrer, basta estar vivo. Pra algo dar errado basta respirar. O que não dá é pra sacrificar experiências recompensadoras de vida pelo medinho de dar errado.

Quem não arrisca não petisca ( é assim ? )

Quem não chora não mama.

Quem não corre riscos não perde. Mas também não ganha.

Vide o querido Celso Roth que domingo, por puro e simples medo, deu mais uma alegria para o Júnior ¬¬ Técnicocagãodesgraçadofilhodeumaéguavaiemboradesgraçadoteu lugarénumcampoporquetutemamentalidadedeumcavaloseuretardado.

Vivamos. Arrisquemos. Erremos. Façamos tudo isso tendo em mente de que os momentos de acertos decorrentes dessas apostas serão inesquecíveis e farão valer a pena todo o esforço.

Por fim deixo a fotinho do presente que eu quero dos amigos blogueiros no meu aniversário. Dia 25/06 viu. Cubanos.

cohiba3

Te amo xuxu.

Matheus

7 Comentários

Arquivado em Dele

E quando bate o tédio?

tedio1
Que droga, o que vou fazer agora?

É férias, tudo muito bom, tudo muito bem. A questão é que a gente “reza” pra que chegue logo o tão esperado recesso, ficar de pernas pro ar, dar um tempo pra cabeça, parar de pensar em trabalhos. Curtir o sol, aproveitar o calor.

Antes que vocês digam que estou reclamando de barriga cheia, eu digo que não. Fui pra praia, que deu pra aproveitar muito, fizeram dias bem bonitos e tudo mais. Viajei horrores de um lado pro outro com o Matheus e fiquei duas semanas sossegada na casa dele. Aproveitamos esse tempo a nossa maneira, fazendo nossas guloseimas, assistindo filmes, saindo pra jantar em alguns dias, passear em outros, enfim aquela coisa toda.

Passado isso vim pra casa, de certo modo é bom voltar pra casa, carinho de pai e mãe é sempre muito bom e eu sempre invento algo pra fuçar, ajeitar, tirar do lugar, colocar em outro. Mas a questão é que chega uma certa hora que todas essas coisas enjoam e acaba batendo um tédio tremendo:   “ai, o que vou fazer agora?”  

Tenho diversos livros aqui em casa que estão em fila de espera pra mim ler, finalmente consegui sair do lugar lendo a Cidade do Sol. Ontem sai com meus pais, quinta revi uma amiga, mas mesmo assim muitas vezes me pego entediada e não sei o que fazer pra reverter essa situação. Alguém tem alguma dica?

Na verdade eu não vejo a hora de chegar dia 1º pro Matheus vir pra cá, por que ficar sozinha é um saco e eu odeio fazer qualquer coisa sozinha, sendo assim quando ele estiver aqui a gente sempre acaba inventando alguma coisa e se divertindo juntos.

É isso então meus queridos!

Tenham uma boa tarde e um ótimo final de semana!

Amor, te amoo paixão! ;@@@@

Beijos, Bruna

15 Comentários

Arquivado em Dela

Qual o sentido da vida?

E daí pessoas? Como estão? Eu estou bem. Meio tenso por ter meu irmão fazendo vestibular contra uma concorrência de 20 por vaga e tal. Mas ta se saindo bem. Ta menos nervoso agora, então acho que vai dar.

Venho aqui hoje pra falar sobre algo que me deixou louco de tanto pensar. Refiro-me a este post da Madi e este post do Júnior. Leiam. É algo inacreditável as coincidências, a sensibilidade e o peso emocional que se extrai dos textos deles.

O post fala da morte. Da relação entre as pessoas que ficam e as pessoas que vão. São um casal o Júnior e a Madi, assim como eu e a Bruna. E eu lembro que depois de ler aqueles textos eu fiquei me imaginando na situação. A Bruna iria no outro dia pra casa, viagem de ônibus e tal. E eu sempre fico preocupado. Mas neste dia fiquei mais. Lembro de jogar os cobertores/lençóis nela na hora de dormir, de ver o sorriso dela, e de pensar que podia ser a última vez que isso acontecia. Podia cair um meteoro no quarto, podia eu cair na escada. Enfim.

A vida é uma coisa muito efêmera. Estamos ligados a ela por um simples fio que por qualquer vento se rompe. Vocês já ouviram falar daquela história em que um cara morreu afogado na tigela de água do gato? Pois então. Além de ser curta, de ser difícil, de ser chata as vezes, a vida também é extremamente sensível.

Aí eu parei de pensar nessas tragédias possíveis. Eu fico louco pensando nisso. E comecei a pensar. Qual o sentido disto tudo? Qual o sentido de nascer, mamar, correr riscos, morrer?

Cheguei ao ponto de pensar que a vida de fato não serve pra nada. Que somos apenas mais uns bichos, a estilo de baratas, ursos e dinossauros, mas que somos apenas hegemônicos na terra por enquanto.

Mas isto é muito pouco. Temos algo que os outros animais não têm. Temos inteligência. Temos a consciência. Ahhh a consciência. Esta me abriu os olhos para o real objetivo da vida, que antes parecia obscuro pra mim.

O objetivo, o sentido da vida, é fazer o bem. Isso mesmo. Fazer o bem sem se importar a quem. Aliás, pode-se até se importar com a quem, mas fazer o bem. Afinal de contas isso é uma das únicas coisas para a qual podemos usar nossa inteligência de forma interessante e ainda por cima ficarmos com a consciência tranqüila. E o que é ter a consciência tranqüila? È ser feliz. É impossível ser feliz com algo negro no passado.

E este tem sido meu objetivo a um bom tempo. Fico meio depressivo até por não saber muito o que fazer. Sentindo-me uma mera formiguinha perante a tudo que eu acho que é ruim e passível de mudanças. Eu sempre tive o sonho louco de fazer a diferença. Quero, quando eu morrer, lá com uns 130 anos, poder fechar meus olhos sabendo que eu fiz algo pelo meu mundo, ou por alguém. Quero morrer sabendo que eu fiz a diferença, com a consciência tranqüila. Quero morrer feliz pela vida que tive. Afinal de contas, esta é a melhor forma de se terminar algo.

Enfim. Devaneios de uma alma que, como eu disse no comentário para a Madi, prefere se agarrar no que tem de objetivo nessas coisas sobrenaturais pra não enlouquecer pensando. Espero que faça algum sentido.

Desejem sorte pro meu irmão.

500 comentários. Obrigado gente. Nem consigo acreditar neste número. ;~~

Até a próxima companheiros.

Te amo bebê ;@@@@

Matheus

6 Comentários

Arquivado em Dele