Bodas..

Hoje quando falamos de casamento várias pessoas abominam a idéia de construir sua vida ao lado de outra e preferem viver independentes.Eu já quero me casar, ter filhos e aquela coisa toda.

Mas alguém de vocês já imaginou viver durante 50 anos ao lado de outra pessoa? Compartilhando TUDO, as conquistas, derrotas, os filhos, dificuldades em um tempo em que as coisas não eram nada fáceis, enfrentar o que fosse mas não abrir mão de estar ao lado daquela pessoa perante tudo e todos?

Falo disso, pois neste final de semana aconteceu a cerimônia de Bodas de Ouro dos meus avós paternos. Eles casaram-se no dia 11 de abril de 1959 e construiram uma família com 5 filhos que tem em média 3 a 4 anos de diferença. Educaram eles, ensinando o que era certo e errado e os valores que deveriam seguir na vida. Mas acredito que o principal ensinamento que eles tiveram, foi sobre o amor, de como o amor pode superar as coisas diante qualquer dificuldade.

Meu pai sempre conta que quando eram crianças e adolescentes, eles nunca “apanharam” dos meus avós, aprontavam umas que outras, mas as coisas se resolviam na base da conversa. E que como meu avó trabalhava fora de casa, numa fábrica pelo menos uma vez por semana ele trazia alguma coisa diferente da rua pra eles jantarem. Mesmo em tempos difíceis ele não abriu mão de alegrar os filhos com esse tipo de mimo.

Hoje cada um dos filhos tem sua família e esplana essas idéias de criação partindo do principio do qual foram criados. Ao todo somos 6 netos! E quando a família se reune é uma algazarra só. Ontem até brincamos que somos a Grande Família e a Família Buscapé, pois como acontece em todas as relações nem tudo são rosas e há grandes controversias dentro da família. Mas…

Antigamente as coisas eram completamente diferentes e os casamentos muito mais duradouros, tanto que temos o exemplo dos meus avós. Hoje em qualquer tropeço as pessoas acham ruim e acabam abrindo mão de pessoas que poderiam fazer a diferença em suas vidas. As coisas são muito práticas e muito rápidas, no mesmo instante em que estão juntos no outro já não estão mais e daqui a pouco já estão com outra pessoa e vão pulando de galho em galho e quando vê acabam sozinhos, é foda e complicado, mas é a realidade de muitos.

Deixo uma mensagem que achei linda falada ontem na Cerimônia Religiosa dos meus avós e que veio no “certificado” das Bodas de Ouro deles e eu copiei

“Nenhuma quantidade de água pode apagar o amor, e nenhum rio pode afogá-lo”. Ct. 8.7a

0071

E deixo pra vocês também uma foto da Família reunida. Só faltou o Matheus e a minha bisavó.

Boa semana a todos!

Amor, te amoo! 😉

Beijão, Bruna!

Obs: será que me sai bem sob a pressão do meu excelentíssimo? haha.. Espero que sim. Beijos

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Dela

10 Respostas para “Bodas..

  1. Brunikayx

    Claro que se saiu bem, Parabéns por sua linda Família!!!

  2. Bruna, eu acho que se saiu muito bem *-*
    Eu realmente ainda acredito em relações como a dos seus avós, alias, acredito que o amor daquela época e o de hoje em dia, ainda são os mesmos, porém hoje, é dado menos valor a esse sentimento.
    O que na minha opnião, é uma pena.
    beeeijos :*

  3. Nete

    Ah, o Sr. Matheus.
    Pelo o que vejo, além de um bom advogado, será um bom estrategista também.

    Você foi muito bem, minha querida. Discorreu sobre um assunto que “há horas”, como dizem os porto-alegrenses, eu não ouço falar entre os jovens.

    Não é fácil conviver com uma pessoa durante tantos anos de sua vida, mas certamente o lado bom da história sempre prevalece.
    O casal aprende a partilhar. A aceitar.
    E o melhor de tudo: Acompanham o crescimento dos filhos. Acho que o melhor do casamento são eles. Caso contrário, não haveria sabor algum.

    Hoje em dia as pessoas se casam já pensando em não dar certo. Na primeira crise que aparece, o casal já desiste de tudo sem sequer tentar algo.
    Sou casada há quase 39 anos, ainda passamos por muitas crises, mas superamos na base do cutucão todas elas. Não é fácil, mas com amor, amizade, respeito e compreensão, é possível construir uma relação duradoura.

    Criar uma boa estrutura no começo é essencial.

    O meu marido é um porre. Mas eu sou outro porre pior ainda. Ainda assim acho que graças a Deus nós criamos esta estrutura, o que nos permitiu tantos anos de casados, que certamente irão se multiplicar.

    Beijos,
    Nete.

  4. Eu sou um porre. A Bruna é legal. Será que aguentamos os 50 anos ? Aeuhaeuae ! Nesse quesito a distância nos ajuda, pois tenho a convicção de que eu sou intragável. Preciso de um pouco mais de tempo pra amolecer, ou a Bruna precisa de mais um tempo pra ficar tolerável o suficiente pra me aguentar.

    Matheus

  5. Júnior

    Eu sinceramente tenho medo de casar de novo.
    Ou ainda, quem sabe seja um misto de “vergonha”.
    Afinal, logo logo será o terceiro. E eu tenho muito medo de fracassar de novo.

    Mas como foi dito…
    Não dá pra pensar negativamente antes de mergulhar nesta nova fase de vida.

  6. Júnior

    E ham…
    Acho que você amolecer ajuda, né cara? 😛

    Aiai.
    Ô vida.
    Eu também sou intragável.

  7. eu acredito no amor, na convivência, na paciência.. e num futuro acompanhado pela pessoa que eu escolher e que me escolher pra estar ao meu lado.

    quanto aos seus posts, Bruna, acho que são diferentes dos do Matheus. E isso é mto bom!! Ele tem uma forma sarcástica de colocar o ponto de vista dele. Você é mais sutil. E me faz viajar na sua filosofia feminina e na sua forma delicada de se expressar.

    nenhum eh melhor ou pior que o outro. apenas diferente. Depois que me tornei leitora assidua, até consigo saber quem postou antes de terminar de ler… rsrs..

    bjocas, pros dois. inté!

  8. Que posto bom de se ler 🙂
    Família é essa coisa estranha, que não dá pra definir. A gente não pode escolher, mas memso assim tem esse amor incondicional.
    Essa coisa que mora lá dentro e não tem como não dar bola.

  9. Neo

    Oi pessoas,

    Saudade daqui.
    Estou passando só pra deixar um abração pra vocês.
    Tentando resolver a vida e voltar com força total.

    Abraços

    Neo

  10. Olá Bruna, achei muito bom você ter compartilhado este momento conosco, pois são testemunhos como esses que nos fazem refletir sobre muita coisa. De fato, há os dias de paixão mas, sobretudo, os das fraudas, dificuldades, tristezas. E tudo isso nos leva a acreditar que podemos reescrever nossas histórias de formas diferentes, que podemos amar de formas variadas, percebendo a linguagem de amor de cada um. Enfim, que possamos decidir amar e vermos que o amor é maior do que um sentimento, é sentido de vida.

    Abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s